quarta-feira, 2 de julho de 2014

Já à Venda - O Espião que Devia Ter Morrido

 

«O INFERNO EXISTE E EU ESTIVE LÁ» - Agente Kasper

Mais de 300 dias preso, moribundo e em condições desumanas no Camboja. Tudo isto por revelar o maior escândalo internacional: a emissão de dólares falsos para financiamento de operações das maiores agências de segurança internacionais, assim começa a história do Agente Kasper.
 

Hoje, com 55 anos, decidiu contar a sua história e revelar ao mundo como são produzidas quantidades assustadoras de dólares falsos, libertados para os mercados internacionais, que irão servir para operações desencadeadas por agências internacionais de segurança como a própria C.I.A.

Sempre envolvida num secretismo desmedido, a missão encomendada a Kasper era descobrir o que se escondia no sótão na embaixada da Coreia do Norte no Cambodja. O Agente Kasper jamais podia imaginar o que ia encontrar: milhões e milhões de dólares em notas de cem, todas impressas fora de território americano. As supernotes. Poucas horas após esta macabra descoberta, era preso e torturado a milhares de quilómetros da sua pátria e sem qualquer apoio internacional. Estava abandonado à sua sorte. Sobreviveu para contar a sua história.

«Notas de 100 dólares são impressas na Coreia do Norte em máquinas autorizadas e com as quais os Serviços de Inteligência dos EUA pagam (de forma secreta e escondida da opinião pública) a regimes criminosos, traficantes de droga e outros agentes do mercado negro internacional. Tudo em nome da segurança nacional americana.» - La Repubblica